Páginas

sábado, 6 de janeiro de 2018

CONTEMPORÂNEOS 2018

É com alegria que entregamos essa Antologia para deleite do leitor interessado em conhecer o trabalho de novos e de tarimbados autores, espalhados por todo o país. “Contemporâneos 2018” representa o encontro desses autores, de suas culturas, seus sonhos e suas realidades, coroamento do trabalho que realizamos ano passado.

Estamos felizes por proporcionar a divulgação desses trabalhos e desses autores.

A seguir o nome dos autores participantes e os títulos de seus trabalhos.


Ingrid Ditzel Felchak
AUTORRETRATO

Manoel da Silva Araújo
STULTIFERA NAVIS
SOLILÓQUIO DESVAIRADO
SONETINHO BESTA DA ESPERANÇA!
TRANSAMARGURAS
VERSOS ÍNFIMOS

Nege Além
A ERMIDA DE MINHA  INFÂNCIA

Julio Maciel Treiguer
PATRIA MINHA...

Lauro Trevisan
VINTE E QUATRO HORAS DE VIDA

Maria da Conceição Gomes de Lima
O VALOR DA GRATIDÃO

Hugo Sales
FARTISMO 

Vera Pinheiro
MULHERES OUTONAIS
A MULHER CARENTE

Paulo Dias Neme
RELIGIÃO

Jorge Luiz Nunes Brazil
KODAK
CÉU E MAR
RECIFE CLUB BAND
CRIANÇA
DE QUE ADIANTA
EU TE VEJO E TU NÃO ME VÊS

Armando Jesus Barbieri
RESSURREIÇÃO DE JESUS

Fernando Carvalho
JESUS CRISTO É O SENHOR

Sueli Nassar Az
SAUDADES

Carlos Henrique de A. Rabello
QUE VIDA DIFÍCIL!!!  CARMINHA, QUE MULHER !!!

Regina Moniz Ribeiro
E POR QUE NÃO?

José Olívio
A TERCEIRA REVELAÇÃO

Jania Souza
CRIANÇA
ÁFRICA SOMOS TODOS NÓS

Lydia Pires de Britto
COMO SER FELIZ
CONVERSANDO COM O “TEMPO”
LEMBRANÇAS DO PASSADO
OS DESCAMINHOS DE UMA ALMA

Mariano Gomes Silva
AO ESCRITOR
 MORTE E VIDA!
OS NOIVOS

Ivan Prieto Rinald
O LIGADNHO NA CRISE

José Bezerra Filho
A GRAVIDADE DA LEI.
O AMARGO RELATO  

José Maria Rodrigues Monteiro
O QUE O DINHEIRO NÃO PODE COMPRAR?
QUEM COMEÇA PROIBINDO EXPOSIÇÃO TERMINA QUEIMANDO LIVROS
DONA MAROCA E O CELULAR




terça-feira, 7 de novembro de 2017

O LIGADINHO NA CRISE

  
por Ivam Prieto Rinald

Editorial de estreia
Viva São João oops, já passou.
Nosso novo tabloide, O LIGADINHO, já chega conectado na hora errada: a da crise de racionamento de água - quem disse que não falta água em Brasília? Prenúncio de novo racionamento de energia elétrica; quem (sobre)viver verá, não precisa ser pitonisa ou visionário.
Por esta razão duvidamos que tenha vida longa, ideias luminosas, público-alvo pouco esclarecido, ou seja, totalmente clean, isto consumiria muita energia. Optamos então por abastecer nossa central cerebral com triptofano, cordyceps sinensis e tribulus terrestris, por serem mais econômicos e só consumirem a nossa própria energia.

CRIANÇA



por Jania Souza

És sorriso do céu
Orvalho no coração
És esperança na tempestade
Amor na incompreensão.

Criança merece respeito
Não deve ser violada
É anjo de carne e osso
Lembra o pão e o cálice.

Zelai pelas crianças
Tesouro maior da nação
Sem elas não há futuro
Finda a consciência cidadã.
 

***
Este trabalho integra a antologia Contemporâneos 2018 que será lançada pela Taba Cultural Editora entre dezembro/2017 e janeiro/2018.
Se gostou comente e compartilhe com os amigos.
Caso deseje participar de nossas antologias envie uma mensagem para: taba@tabacultural.com.br



sábado, 30 de setembro de 2017

RESSURREIÇÃO DE JESUS

por Armando Jesus Barbieri

Lc-24,13a33 – Em Lucas 24 Vs13 a 33 Jesus caminhava com o povo, com destino a Emaús.
Quando por ocasião do aparecimento de Jesus em João 20 Vs24a29
Jesus queria se mostrar ao incrédulo Tomé também chamado Dídimo que percebeu ser mesmo Jesus ressuscitado, então disse:
- Meu Senhor e meu Deus!!!
Em Lc24 Vs13a24 Jesus caminhava com eles sem se identificar.
 Um deles chamado Cléofas respondeu a Jesus:
- És tu o único em Jerusalém que  desconhece os acontecimentos dos últimos dias?
- Que foi que houve? Perguntou Jesus (Resposta leia na Bíblia Cap Lc 24 vs24a33.
Sem dar pulinhos e alterando sua voz um padre já idoso, com voz calma e suave dizia:
- Gente, caminhe com Jesus, Jesus nos ama e só quer nosso bem, venha a casa de Deus celebrar a Páscoa, assistir a missa porque toda missa é a Celebração da Páscoa.
Jesus ressuscitado foi reconhecido em Emaús quando partiu o Pão e ai que reconheceram Jesus que havia caminhado com eles.
Depois de cinquenta dias, dia de Pentecostes Jesus subiu aos Céus para junto de Deus Pai deixando para nós o Seu Espírito Santo que por ocasião do Batismo nos faz irmãos de Jesus e filhos adotivos de Deus.
Na sexta-feira santa do dia 19 de abril de 1935 a minha mãe Dona Regina Brandini Barbieri, aguardava o nascimento de seu 3° filho. Quem?
Eu! Naqueles tempos quem assistia as parturientes era uma parteira que apressava minha mãe porque as 19,00 horas saía a procissão da Igreja de São Pedro do enterro de Jesus, mas como este menino sempre foi um pouco lento e como já nasci aprontando, a parteira perdeu a procissão, coitadinho do inocente.
Depois de quase uma semana de vida, tinha que batizar a criança. porque o nenê chorava muito e só depois de receber o Batismo é que a criança se acalmava e ficava tranquila dormindo melhor.
O engraçado foi na hora de colocar o nome na criança. Meu pai Mario Barbieri queria colocar o nome de Armando em homenagem a Armando Salles de Oliveira, governador do Estado de São Paulo.
Na parede da sacristia um pacote de folhinhas com 365 números e em cada folha o dia, o mês e ano e com letras miúdas o nome do santo do dia, o padre procurava o nome do santo e achou o de Santo Expedito em 19 de abril, e minha mãe não gostou do nome, então o padre sugeriu o nome de Jesus por ter nascido na sexta-feira santa.
O nome Armando foi considerado pela homenagem de meu pai, o de Jesus (Época de Páscoa e ressurreição de Jesus) e Barbieri da família
 Na Itália era uma época de pestes, terremotos, doenças, fome,etc.
O Brasil era um paraíso perto de uma Itália de Mussolini, resultando que transportei um  vírus no meu sangue diagnosticado como mal de simioto ou doença de macaco e na época não tinha cura.
Resultado, fiquei magro e seco e com dois olhos azuis arregalados.
Sem expectativa de cura, minha mãe me levou para igreja e com aquele esquelético menino nos braços, ofereceu a Nossa Senhora:
- Oh! Senhora Aparecida, se for teu, leve mas se não cure o meu menino! Minha mãe acabava de me consagrar a Nossa Senhora .
Ao chegar em casa comecei a me alimentar, comer e beber e graças a Deus e Nossa Senhora me restabeleci.
O engraçado que uma senhora mãe de um vereador da cidade disse:
- Senhor Armando ! Nem Nossa Senhora quis o senhor!
Me fez rir no momento, mas depois fiquei meditando, Nossa Senhora me deixou viver porque tinha muita coisa para oferecer na vida, inclusive o testemunho de que Deus Existe e está no meio de nós!

***
Este trabalho integra a antologia Contemporâneos 2018 que será lançada pela Taba Cultural Editora entre dezembro/2017 e janeiro/2018.
Se gostou comente e compartilhe com os amigos.
Caso deseje participar de nossas antologias envie uma mensagem para: taba@tabacultural.com.br

KODAK


por Jorge Luiz Nunes Brasil

Vi a luz dos teus olhos
Brilharem
Na imensidão da noite
E na imensidão da minha alma
Vieram-me as lembranças
Dos teus gestos
Vi nas águas do mar
A cor do teu corpo
Pensei em ti, talvez embriagado
Por tanta luz
Na Kodak invisível
Dos meus pensamentos
Ficaram gravados
Os teus sorrisos
Senti por breves momentos
As tuas mãos, entre as minhas mãos nervosas
Vi a luz dos teus olhos
Penetrando no corredor invisível
Da minha mente e fotografei
Sua alma



***
Este trabalho integra a antologia Contemporâneos 2018 que será lançada pela Taba Cultural Editora entre dezembro/2017 e janeiro/2018.
Se gostou comente e compartilhe com os amigos.
Caso deseje participar de nossas antologias envie uma mensagem para: taba@tabacultural.com.br



sexta-feira, 25 de agosto de 2017

AUTORRETRATO

 
Poema imagem por Ingrid Ditzel Felchak

***
Este trabalho integra a antologia Contemporâneos 2018 que será lançada pela Taba Cultural Editora entre dezembro/2017 e janeiro/2018.
Se gostou comente e compartilhe com os amigos.
Caso deseje participar de nossas antologias envie uma mensagem para: taba@tabacultural.com.br